Morar em casa ou apartamento, eis a questão. Há prós e contras nos dois tipos de imóvel, e, para tomar essa decisão tão importante, o locatário ou comprador tem muito o que considerar. 

Esses dois tipos de residências são bem diferentes entre si, e para acertar na escolha, é preciso que as características da propriedade estejam de acordo com as demandas, anseios e necessidades de cada família.

Definir o local para viver é uma tarefa desafiadora, mas extremamente importante para encontrar o seu lugar no mundo, você não acha?! 

Navegue pelo conteúdo: 

Quais são os tipos de casas e apartamentos?

Cada um tem a própria referência de casa ou apartamento, no entanto, quando começamos a busca pelo imóvel ideal, descobrimos que existem muitas variações entre eles, afinal, nem toda propriedade é igual. Conheça algumas delas:

Casa geminada

São aquelas ligadas umas às outras e dividem o mesmo telhado e, por vezes, a mesma parede em um só terreno.

São boas opções para quem quer comprar a primeira casa, mas busca um valor acessível, o que é possível graças ao compartilhamento de um mesmo lote com a(s) residência(s) vizinha(s). 

imagem do lado de fora de uma casa branca com área com grama

Casa térrea

Chamamos de casa térrea aquela em que todos os cômodos ficam em um único andar. 

Quanto maior o terreno, maior pode ser a metragem da residência. No entanto, lotes pequenos podem limitar bastante o número e o tamanho dos ambientes.

As casas térreas proporcionam liberdade e mobilidade, sendo adequadas para famílias com crianças pequenas, idosos e pets. 

casa com telhado triangular e grama do lado de fora

Sobrado

Os sobrados são casas de dois ou mais andares,  ligados por escadas. Trata-se de uma boa opção para ampliar a metragem do imóvel até mesmo se o lote não for dos maiores. 

Eles são ideais para quem prefere configurações que mantenham as áreas privativas separadas das áreas comuns. 

Jovens e famílias grandes, que precisam de mais espaço, também podem se beneficiar dos sobrados. Já os idosos podem encontrar uma certa dificuldade em caso de restrições de mobilidade. 

imagem de várias casinhas iguais próximas umas das outras

Loft

O loft é uma casa sem divisórias entre os cômodos. Ele é inspirado em galpões e armazéns americanos dos anos 70.

Esse tipo de imóvel é associado a profissionais criativos, como escritores e artistas, mas qualquer um que goste de ambientes integrados e não se preocupe tanto com seu espaço pessoal pode viver confortavelmente em um loft.

imagem mostrando o interior de um loft

Mansão

Mansão ou casa de alto padrão é um imóvel de luxo amplo, com mais de uma suíte, quarto de hóspedes e espaços de lazer, como piscina, sala de jogos, área gourmet, cinema, entre outros. 

Para desfrutar dos benefícios das mansões, é recomendado ter um alto poder aquisitivo, pois, além do alto custo de manutenção, é preciso contar com empregados para auxiliar no funcionamento doméstico.

imagem mostrando a parte de dentro de uma mansão

Casa de condomínio

As casas de condomínio podem ser térreas, sobrados, geminadas, mansões ou lofts, e ficam localizadas dentro de uma área organizada que oferece segurança e áreas para o lazer e socialização. 

A opção é perfeita para quem busca segurança, para famílias com filhos pequenos – que podem brincar livremente pelo local – e para aqueles que querem passar mais tempo em casa, desfrutando dos serviços que o condomínio proporciona. 

imagem mostrando condomínio de casas

Apartamento padrão

Os apartamentos são residências em condomínios verticais com um ou mais dormitórios, banheiro e cozinha. Adicionalmente, eles podem contar com sala, varanda, lavanderia e vaga(s) de garagem, e condomínio com áreas sociais, de lazer e serviços.

Eles são ideais para casais e pequenas famílias de até quatro membros. Entretanto, há apartamentos padrão com dormitórios suficientes para acomodar grandes famílias. 

Quem vive neste tipo de imóvel também terá a facilidade de aproveitar sua estrutura no tempo livre sem se preocupar com a manutenção extra. 

família em apartamento abrindo caixas de mudanças

Kitnet

Trata-se de uma versão reduzida de um apartamento, com um quarto, cozinha e banheiro. 

É mais comum de ser encontrado nas grandes cidades e não costumam ter opções de lazer no condomínio. Por isso, são muito buscados por universitários, jovens trabalhadores ou por aqueles que passam o dia todo fora.

Leia também: Você sabe qual a diferença entre KitNet e Studio?

imagem do interior de uma kitnet

Studio

O studio é uma mistura do loft com a kitnet. Ele é composto de um cômodo único, que integra quarto e cozinha. Geralmente, conta com áreas de lazer e serviços, como lavanderia.

Como geralmente estão localizados em áreas nobres e contam com opções para o tempo livre, são moradias adequadas para quem já tem uma boa condição financeira, mas não constituiu família – embora casais possam viver confortavelmente nos studios. 

Duplex

Quando o apartamento tem dois andares, é chamado de duplex – ou triplex quando há até três andares. No primeiro andar, ficam os cômodos em comum e nos andares superiores, os cômodos privativos. 

O duplex ou triplex é adequado para grandes famílias que buscam a segurança e infraestrutura que um condomínio proporciona, além de ser mais econômico do que as casas. 

Cobertura

Localizadas no último andar de um edifício, as coberturas são apartamentos luxuosos, com amplo espaço, privacidade e visão privilegiada da cidade.

São imóveis para quem tem um alto poder aquisitivo, que podem acomodar apenas uma pessoa, casais ou famílias inteiras com muito conforto. 

As coberturas também são ideais para quem ama uma festa, já que a vista se torna um atrativo para os amigos e familiares, assim como as áreas de lazer exclusivas, como hidromassagem, piscina e churrasqueira.

imagem do interior de uma cobertura

Como escolher o imóvel ideal

Depois de entender exatamente quais são os tipos de imóveis disponíveis no mercado e o perfil de seus moradores, está na hora de olhar para as suas necessidades e expectativas e descobrir se casa ou apartamento é melhor para você. Coloque na balança alguns fatores, como:

Privacidade

Devido ao tipo de construção, os apartamentos podem dificultar a privacidade entre os vizinhos. Nesse tipo de imóvel, você pode sofrer com barulhos vindos do apartamento de cima, reformas na porta ao lado ou até mesmo se deparar com um vizinho sem roupa  desavisado bem na sua frente!

Entretanto, nem sempre as casas são as melhores soluções para o problema. 

Nas geminadas, em especial, o compartilhamento de paredes tende a facilitar a passagem de som, por exemplo. Agora, se estivermos falando de casas não geminadas, a privacidade é mais garantida. 

Localização

Se o seu desejo é viver em meio à natureza, dificilmente será possível fazer isso dentro de um apartamento. Neste caso, uma casa em um condomínio com bastante área verde é uma possibilidade mais realista.

Se deseja estar mais próximo aos grandes centros urbanos, haverá maior disponibilidade de apartamentos, kitnets e studios. Se o orçamento permitir, lofts, duplex e cobertura também podem ser encontrados com facilidade. 

Já nas áreas periféricas, você pode topar com boas opções de casas geminadas, sobrados, mansões e também apartamentos padrão. 

Preço

O tipo de imóvel não é o único fator que compõe o preço de uma compra ou locação de casa ou apartamento. 

De forma geral, dá para dizer que, quanto maior a metragem, mais caro será o custo para se viver ali. Sendo assim, kitnets e studios tendem a ser mais acessíveis, enquanto que, para bancar mansões, duplex e coberturas, será preciso mais verba. 

Por outro lado, quando incluímos o condomínio, o preço total para locar um apartamento padrão, por exemplo, pode ser equiparado ao aluguel de um sobrado de maior metragem. 

Há de se considerar também a localização do imóvel. Um studio numa área nobre da capital paulista pode custar mais caro do que uma casa em uma região mais afastada, como Freguesia do Ó, da cidade.

Quer se mudar para um lugar incrível? Procure seu novo lar na maior imobiliária digital do país e alugue sem fiador Pesquisar imóvel

Manutenção

Todo imóvel necessita de manutenção, mas alguns precisam mais do que outros. 

Se você vive em um edifício novo, dificilmente precisará se preocupar com a manutenção interna no curto prazo. Porém, se o seu apartamento é antigo, ele pode demandar mais cuidados elétricos, hidráulicos e com a aparência do imóvel.

Já a manutenção externa e das áreas comuns é feita pelo administrador, sem preocupações para o morador. Este também é o caso das casas que ficam em condomínios. 

As demais casas exigem que a manutenção seja feita pelo morador (ou proprietário). Dependendo de seu estado de conservação, você precisará se atentar a diversos “detalhes” para o seu bom funcionamento – de desentupimento de calhas à poda do jardim. 

Ah, e quanto maior a casa, mais trabalho você terá! É por isso que, nas mansões, sempre há funcionários por perto.

Moradores

Quem vai viver com você? É preciso que o imóvel seja funcional para todos os moradores. 

As escadas podem ser perigosas para idosos e bebês. Crianças e pets – que já somam  139,3 milhões no Brasil, com 50% deles concentrados no Sudeste, segundo o IBGE – vão adorar uma área externa, enquanto que os adultos podem se beneficiar de áreas de lazer – dentro de casa, como uma varanda gourmet ou uma biblioteca – ou nos condomínios, como uma quadra de tênis. 

Segurança

Não deixe de pesar também o quesito segurança.

Geralmente, os condomínios transmitem uma maior sensação de segurança, já que estão cercados por portarias, ao contrário das casas, expostas para as ruas. No entanto, lembre-se que há casos de falta de segurança registrados em condomínios e até mesmo nas mais luxuosas mansões. 

Por outro lado, um sobrado localizado na região serrana do Rio de Janeiro pode ser bem mais seguro do que uma cobertura na zona oeste carioca. 

Investimento

Quem está adquirindo um imóvel pensando em alugar ou em garantir a venda lá na frente precisa de uma opção rentável, com possibilidade de liquidez e potencial de valorização, tanto devido à região quanto pelas características do imóvel. 

Para alugar rapidamente um imóvel, será preciso conquistar o locatário. Casas e apartamentos com ambientes multifuncionais, uma boa infraestrutura e semi mobiliado podem ser vantajosos, mas para isso, talvez seja preciso investir em reparos iniciais. 

Se a opção for pela venda, o bom estado de conservação é essencial. Outro diferencial é estar com a documentação em dia. Além disso, é preciso estar aberto a negociações, principalmente quando o imóvel em questão tem um alto valor. 

Em São Paulo, as residências em prédios já são maioria, de acordo com estudo recém- divulgado pela Fapesp. Essa é uma boa dica para quem está em dúvida entre casa e apartamento para investir na capital.

Depois de tantas informações, com certeza, você está pronto para iniciar sua pesquisa.

Conte com os recursos que o QuintoAndar oferece desde 2013 para que você possa tomar as melhores decisões na hora de escolher entre casa ou apartamento para alugar, comprar e vender imóveis em mais de 40 cidades brasileiras.

Acesse o site ou faça o download do nosso app e aproveite a sua jornada no mercado imobiliário com acesso às melhores condições, sem fiador, seguro fiança nem depósito caução.