Tanto para o vendedor quanto para o comprador,. Entender como financiar um imóvel nem sempre é tarefa fácil, tanto para o vendedor quanto para o comprador. Para fazer a operação, é preciso enfrentar as burocracias desse processo. 

Buscar as melhores condições de crédito imobiliário junto às instituições financeiras leva tempo e exige uma série de comprovações, mas compensa. Afinal, é a sua casa dos sonhos que está em jogo!

Primeiro você precisa de respostas para as suas dúvidas sobre como financiar um imóvel pelo banco. Depois, o QuintoAndar vai te ajudar a encontrar o lar ideal. Continue lendo para entender melhor sobre como funciona o financiamento de imóveis!

Navegue pelo conteúdo:

Como funciona o financiamento de imóvel?

Antes de começar a explicar como financiar um imóvel, precisamos entender exatamente como funciona um financiamento. 
Quando alguém compra um imóvel, seja novo ou, usado, é possível financiar o pagamento, pois se tratam de bens com valores bastante elevados, nem sempre sendo possível pagar de uma só vez, apenas a entrada.
Por isso, os bancos primeiro pagam ao vendedor do imóvel a quantia que o comprador precisa para completar a oferta, e depois o novo proprietário realiza o pagamento à instituição conforme as parcelas acordadas, em uma operação chamada de financiamento.

O que é necessário para financiar um imóvel?

Tudo vai depender da instituição bancária para a qual você vai pedir o financiamento de imóvel

A dica é encontrar aquela que ofereça as melhores condições de pagamento para o seu perfil, como taxas de juros, a duração dos contratos e o valor do imóvel que pode ser financiado.

Para dar uma ideia de como conseguir financiar um imóvel, vamos usar como exemplo um financiamento imobiliário da Caixa Econômica Federal, que detém dois terços desse mercado no Brasil, segundo o portal do Governo.

O que é necessário para financiar um imóvel na Caixa?

Para começar a descobrir como financiar um imóvel pela Caixa, você deve escolher o imóvel, ou, no mínimo, ter uma ideia do valor do imóvel que deseja comprar. 

Depois, é interessante fazer uma simulação. O próprio site da Caixa já tem um simulador de financiamento imobiliário. Com ele, você vai descobrir se os valores estão dentro da sua realidade financeira.

Se estiver tudo certo, é hora de separar os documentos e se dirigir a uma agência. Você precisará levar:

  • RG;
  • CPF;
  • Comprovante de estado civil (certidão de nascimento, casamento ou averbação de divórcio);
  • Comprovante de endereço;
  • Comprovante de renda (holerite, pró-labore, extrato bancário ou IR);
  • Extrato do FGTS (caso tenha intenção de usar para amortizar a dívida);
  • Carteira de trabalho (se houver).

Fale com um gerente, faça o seu cadastro e aguarde. Em até cinco dias úteis, a Caixa retorna com a pré-aprovação do financiamento e seus detalhes (prazo de pagamento, valor de entrada e taxa de juros).

Quando você encontrar o imóvel ideal, uma equipe de profissionais da Caixa fará a avaliação do local e dos documentos do vendedor e também vai conferir se a propriedade se encaixa no financiamento do banco.

Esse laudo é concluído em cerca de 15 dias. Se estiver tudo certo, o financiamento é liberado, basta assinar o contrato com a instituição bancária. 

Qual é o melhor banco para financiar um imóvel?

Embora seja um dos grandes financiadores imobiliários do país, a Caixa não é a única opção disponível para os brasileiros. Quase todas as instituições oferecem linhas de crédito para este fim, como:

  • Banco do Brasil;
  • Santander;
  • Itaú Unibanco;
  • Bradesco;
  • Banco Inter;
  • Banco Safra;
  • Banrisul;
  • XP.

O ideal é que o comprador consulte as instituições e busque as melhores opções. Se você já é correntista, o seu banco pode ter condições mais interessantes para oferecer. 

O que considerar na hora de financiar um imóvel?

inúmeros pontos a serem analisados, e tudo vai depender do imóvel que você está de olho e da sua situação financeira. Vamos entender tudo a seguir:

Entrada

Via de regra, existem poucas maneiras de financiar 100% do valor do imóvel. Então, como financiar um imóvel usado ou novo vai depender do valor que você tem para a entrada. 

Dependendo do tipo de financiamento (que você vai conhecer no próximo tópico), é cobrada uma entrada de 10% a 20% do valor total, mas você pode oferecer mais. 

Inclusive, ter um bom valor para a entrada é uma boa estratégia para reduzir a dívida e os juros, pois eles são calculados sobre o saldo devedor.

Tipos de financiamento

Basicamente, existem três tipos praticados hoje no Brasil, e eles obedecem a algumas regras. Veja mais a seguir! 

Sistema Financeiro de Habitação (SFH)

Garantido pelos recursos do FGTS e Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimos (SBPE), ele é o sistema mais comum entre os financiamentos imobiliários que acontecem no país. Suas características são:

  • Valor máximo do imóvel: R$1,5 milhão;
  • Financiamento de até 80% do valor do imóvel;
  • Comprometimento máximo de 30% da renda bruta; 
  • Imóvel residencial e urbano registrado no Cartório de Registro de Imóveis;
  • Imóvel localizado na região onde o comprador mora ou trabalha; 
  • Permitido uso do FGTS, desde que não tenha sido usado para financiamento ou construção nos últimos três anos;
  • Não há limites para os juros;
  • Prazo de quitação máximo de 35 anos.

Se você está se perguntando como financiar um imóvel com renda baixa, é por meio desse sistema, que compreende o programa Casa Verde e Amarela (ex-Minha Casa Minha Vida). 

Porém, ele possui mais algumas regras, relacionadas a renda do comprador, os subsídios disponibilizados pelo governo, os valores das parcelas, os juros e o prazo de quitação. 

Sistema Financeiro Imobiliário (SFI)

Essa modalidade, criada em 1997, vem para suprir as carências do SFH, o que facilita o acesso ao crédito imobiliário para quem não se enquadra em outro tipo de financiamento. Geralmente, é usado para a aquisição de imóveis de luxo ou investimento. 

Os recursos são provenientes de investidores do setor imobiliário, como bancos e instituições financeiras. As suas características são:

  • Não há limite para o valor do imóvel;
  • Financiamento de até 90% do valor do imóvel;
  • Não há limite de renda comprometida;
  • Disponível para pessoas físicas e jurídicas;
  • Não permite uso do FGTS;
  • Não há limites para os juros;
  • Prazo de quitação máximo de 35 anos.

Quer facilidade para comprar um imóvel? Confie na maior imobiliária digital do país! Pesquisar imóvel

Taxa de juros e custo efetivo total

Depois de analisar os tipos de financiamento habitacional, procure pelos bancos que oferecem essas linhas de crédito. A maioria das instituições trabalha com ambas as opções. 

Nos bancos, você deve prestar atenção a dois importantes fatores que compõem o valor da dívida: a taxa de juros e o custo efetivo total (CET). Esses dois elementos devem ser os menores possíveis.

Para os juros, no SFH, o mais comum é encontrar taxas em torno de 10% ao ano — e são ainda menores para o programa Casa Verde e Amarela. Já no SFI, essa porcentagem tende a ser mais alta, variando entre 12% e 14%. Por isso, é preciso pesquisar bastante. 
Ainda sobre os juros, o interessado deverá escolher entre as correções monetárias pré-fixadas ou pós-fixadas para o financiamento.

Prazo e amortização

Os bancos oferecem até 420 meses para quitar o financiamento imobiliário, ou seja, 3 anos e meio.

A vantagem de estender o prazo é o pagamento de parcelas menores. No entanto, é possível que você não consiga, um prazo tão longo assim, o que vai acarretar em custos mensais mais elevados. 

Independentemente do prazo que você conseguir, é possível amortizar o valor da dívida, ou seja, adiantar o pagamento do parcelamento. Esse é um direito de todo tomador de empréstimo, basta procurar a instituição financeira e expressar a intenção de deduzir o débito.

Existem alguns sistemas de amortização, como o SAC (Sistema de Amortização Constante), a TB (Tabela Price ou Sistema Francês), e o Sacre (um híbrido entre os dois), e é preciso avaliar a opção mais vantajosa para o seu caso. 

Fator idade

Os bancos olham para a idade do comprador para definir quais condições vão propor. 

Um comprador mais jovem pode se beneficiar de condições mais atrativas de parcelamento, com limite mais alto, maior prazo de quitação e juros mais altos. 

Já pessoas em idade avançada vão ter dificuldade de acesso a valores mais altos e um financiamento a longo prazo, mas poderão encontrar vantagens em relação às taxas de juros.

Nome sujo

Vale lembrar que a instituição financeira pode recusar o financiamento se você estiver com o nome sujo, ou seja, negativado nos birôs de crédito como Serasa, SPC e Boa Vista SCPC. 

Portanto, ter um bom histórico de pagamentos e quitar dívidas anteriores antes de solicitar um empréstimo imobiliário aumenta as suas chances de conquistar a casa própria. 

Como financiar um imóvel no QuintoAndar?

O QuintoAndar é uma imobiliária digital, presente em mais de 40 cidades brasileiras. Aqui, você não precisa de um fiador, seguro fiança ou depósito caução para viver na sua nova casa. A plataforma ainda permite que você filtre por cidade, bairro, faixa de preço do aluguel, quantidade de quartos e muito mais! 
O financiamento da casa própria no QuintoAndar é uma experiência completamente diferente — mais ágil, menos burocrática e com ótimas condições.

Justamente para você não ter qualquer dúvida sobre como financiar imóvel no QuintoAndar, preparamos aqui um passo a passo com tudo que você precisa saber sobre as etapas da negociação. Entenda desde o fechamento do valor até a transmissão do bem para o novo dono.

Simulador de financiamento online

Sugerimos que, antes mesmo de dar entrada no seu pedido de compra, você faça a simulação de financiamento em nossa plataforma. 

Assim, você já terá uma noção das condições que a nossa equipe tem para oferecer na compra da sua casa própria. 

Preenchimento das informações

Se você já encontrou, visitou, aprovou fechar uma proposta com o proprietário é hora de acessar o app ou o site para preencher as informações e enviar a documentação necessária para a confecção do Compromisso de Compra e Venda (CCV)

Você precisará fornecer informações básicas como a foto de um documento de identificação (RG, CNH ou RNE), o seu endereço e as informações do cônjuge ou outro comprador, se houver.

Depois da assinatura do Compromisso de Compra e Venda, o time de especialistas do QuintoAndar entrará em contato para explicar os próximos passos e solicitar outros documentos.

Pagamento do sinal

Conforme disposto no CCV, é preciso realizar o pagamento do sinal, que corresponde a 7% do valor do imóvel,  diretamente para o QuintoAndar. Esse montante fica guardado em segurança até o registro da compra no cartório de imóveis.

O sinal funciona como uma garantia de que o comprador não desistirá da compra do imóvel, para não deixar o vendedor na mão.  

Análise de documentação

Na próxima etapa, os especialistas do QuintoAndar vão fazer um levantamento dos riscos da aquisição do imóvel, verificando todos os documentos relativos ao bem, aos proprietários e antecessores, assim como às Pessoas Jurídicas (PJs) que estão relacionadas a eles.

Esse processo é chamado de diligência. Ela leva em média cinco dias úteis e é essencial para o seguimento dos trâmites. Ao ser concluída, o QuintoAndar envia um relatório para você avaliar se está de acordo e se deseja seguir ou não com a compra. 

Simulação e análise de crédito

Em paralelo à diligência, nosso time de especialistas procura, junto aos bancos parceiros, as melhores taxas de financiamento para você.

Nesta etapa do processo, será preciso preencher um formulário de crédito. É possível optar por adiantar o envio da documentação que será repassada ao banco.

Tudo é feito online, pelo app ou pelo site do QuintoAndar. Tudo muito fácil, rápido e intuitivo. E o melhor: você só precisa fazer isso uma vez. 

Depósito da entrada

Essa etapa acontece apenas depois da realização e do envio da diligência para o comprador. 

Se houver algum apontamento no relatório, um analista do QuintoAndar entra em contato com o vendedor para pedir a resolução do problema. Depois, a imobiliária digital realiza uma nova análise e emite um relatório atualizado, sem o apontamento anterior, caso ele seja resolvido.
O valor da entrada depende das condições do crédito imobiliário aprovado pelo banco. 

A maioria das instituições financeiras parceiras pede uma entrada mínima de 20%, mas isso pode variar por razões que vão desde o score do cliente que solicita o financiamento até a situação cadastral do imóvel.

Financiamento em análise

Com os documentos enviados, o prazo de análise varia a cada banco. Geralmente, leva-se em torno de 30 dias.

Essa etapa chama-se “Análise jurídica”, ou seja, é quando o banco valida a capacidade financeira do comprador.

Vistoria do imóvel 

Após o envio da documentação completa dos compradores, vendedores, do imóvel e dos formulários preenchidos, é iniciado o processo da vistoria, uma exigência do banco. 

Mas atenção: esse serviço não é prestado pelo QuintoAndar, e sim por um profissional indicado  pela instituição financeira. Trata-se de uma exigência do banco para evitar possíveis fraudes.

Nessa etapa, o banco encaminha o pedido de vistoria para a empresa prestadora desse tipo de serviço, que faz o agendamento com o vendedor (ou com outra pessoa que esteja com as chaves). A inspeção é feita por um engenheiro.

Após a vistoria, o profissional responsável emite um laudo com fotos e descrição do imóvel, valor avaliado e se o imóvel pode ser aceito como garantia ou não. 

Se o engenheiro apontar a vistoria como negativa, o imóvel não pode ser financiado.

Assinatura do financiamento

Após a vistoria e uma vez aprovado o financiamento, o banco solicitará a confirmação dos valores e realizará a emissão do contrato, que é levado para o comprador e o vendedor assinarem.

Todo esse leva e traz de documentos é feito pelo QuintoAndar, que colhe as assinaturas sem que ninguém precise sair de casa.

Prenotação

Quando o contrato de financiamento já está assinado, tem início o processo burocrático feito no Cartório de Registro de Imóvel. Essa é mais uma parte que o QuintoAndar cuida inteiramente para você. 

Neste momento, é necessário que você faça o pagamento das taxas de cartório e do Imposto Sobre Transmissão de Bens (ITBI), que tem seu boleto gerado pela prefeitura local. 

Com a assinatura da escritura de imóvel, é hora da formalização da venda na matrícula de imóvel junto ao Cartório de Registro de Imóveis.

Registro em cartório

Esta é a parte final da formalização da venda, quando é feito o registro de imóvel. É nesse momento em que a posse do bem é transferida de uma pessoa para outra, com o registro dessa transação na matrícula do imóvel. 

Entrega de chaves

Com a matrícula registrada, é hora de entregar as chaves para o novo proprietário. 

Essa etapa é intermediada pelo QuintoAndar, e pode ser feita da forma como o vendedor escolher. Dá para deixar as chaves na portaria, no caso de um condomínio, enviar via motoboy ou entregar nas mãos do novo dono.

Nesse ponto do processo, o antigo proprietário tem até 5 dias corridos para a desocupação do imóvel e entrega das chaves.

Pagamento ao vendedor

Paralelamente à finalização do registro e da entrega das chaves, o QuintoAndar repassa os valores do sinal e da entrada ao vendedor, descontando a taxa de corretagem.

Se o FGTS for usado o resgate desses valores é feito diretamente com a Caixa Econômica Federal e a quantia é repassada diretamente ao vendedor, sem o intermédio do QuintoAndar.

Feito isso, a responsabilidade do QuintoAndar com o vendedor está finalizada. O restante do valor financiado é repassado ao antigo dono pela instituição financeira que concedeu o financiamento de forma integral.

Depois de todo esse processo de como financiar um imóvel, você se torna oficialmente proprietário do imóvel que sempre sonhou. É hora de planejar a mudança e comemorar a nova fase da sua vida!