Você é daqueles que só de ouvir a palavra “obra” já sente calafrios? E só de pensar em fazer reforma de apartamento, já pensa em desistir? Vamos mostrar que dar aquela repaginada no seu lar pode ser menos estressante e até divertido.

Ter o apartamento reformado é um processo um pouco mais complexo do que reformar uma casa. Qualquer erro pode colocar a segurança dos condôminos em risco, e o barulho incomoda quem passa o dia em casa. 

Por isso, o projeto da reforma do apartamento sempre deve ser aprovado pelo condomínio, uma etapa essencial para o sucesso da obra.

Leia mais: Obras em apartamento: como funcionam as regras para iniciar uma reforma

Esse, no entanto, não é o ponto de partida da sua reforma. 

Repaginar o apartamento começa bem antes, quando você ainda está sonhando com o resultado, e precisa se planejar para não gastar demais nem demorar muito tempo. 

Navegue pelo conteúdo

Planejando a reforma do seu apartamento

Antes mesmo de envolver o síndico na sua obra, você precisa imaginar como gostaria que o ambiente ficasse após a reforma, seja em um apartamento que ainda está vazio ou no local que você já está morando. 

Ter uma pasta de referências nas redes sociais, conversar com familiares e amigos e visitar outras residências pode ajudar nessa etapa.  

O próximo passo é começar a orçar tudo aquilo que você vai precisar, de materiais a serviços, para se ter uma ideia do custo da reforma do apartamento. 

Em condomínios, obrigatoriamente, você precisará dos serviços de um engenheiro ou arquiteto para se responsabilizar e supervisionar a obra. 

Além disso, obras de grande porte, que incluem a remodelagem da planta ou a criação de um espaço gourmet, podem necessitar de uma empreiteira ou uma equipe de pedreiros.  Obras estruturais envolvem engenheiros, arquitetos, e inclusive, precisa ser autorizada pelo condomínio, segundo a NBR6.280, norma da ABNT que garante a saúde estrutural dos edifícios e trata de obras em apartamento.

Leia também: Churrasco sem fumaça: como equipar a varanda gourmet

Agora, caso seja obras pequena e sem mudanças estruturais, como uma troca de revestimento, a contratação de um pedreiro especializado pode ser suficiente. 

Se a obra incluir mudanças na parte elétrica ou hidráulica, pode ser preciso, ainda, outros tipos de especialistas. Por exemplo, se você quiser mudar toda a fiação das luzes, instalar uma banheira, entre outros. 

Independente do profissional, sempre peça para ver alguns de seus trabalhos prontos. Assim, você pode avaliar se o nível de qualidade do serviço satisfaz as suas exigências. 

Depois de contratar o profissional responsável pela obra, é hora de fazer a medição e fechar o projeto, a lista de materiais e fornecedores, o orçamento, as etapas e os prazos para a reforma. 

Alugar, comprar ou vender? Vem comparar no QuintoAndar
Alugar, comprar ou vender? Vem comparar no QuintoAndar Descubra agora

Aprovando a reforma do apartamento

Para cuidar da segurança de todos e da durabilidade do empreendimento, quem vai reformar precisa apresentar ao síndico ou gestor condominial alguns documentos

Nos Regimentos Internos, cada condomínio pode possuir exigências adicionais quando se trata de autorizar uma reforma de apartamento. Mas, obrigatoriamente, é preciso que o morador apresente:

  • Termo de responsabilidade;
  • Plano de Reformas, Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) ou Registro de Responsabilidade Técnica (RRT) – vamos explicar melhor sobre esse;
  • Cronograma detalhado sobre o que será feito na obra e prazos, além da lista de funcionários, planta e as alterações que serão realizadas.

Conheça as normas ART ou RRT

A norma técnica de reformas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), NBR 16.280:2015 estabelece que alterações feitas em condomínios, inclusive em seu interior, devem ser comunicadas ao síndico. 

O condômino precisa apresentar para este profissional uma Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) ou Registro de Responsabilidade Técnica (RRT), assinadas por engenheiros (ART) ou arquitetos (RRT). 

O documento é uma espécie de selo de garantia de que o serviço prestado por um profissional habilitado e atesta que ele se responsabiliza pelo projeto. 

Agora, é com o síndico! O gestor deve avaliar se a obra está de acordo com a ART ou RRT e se realmente não coloca moradores e estrutura em risco. Se ele concordar, os documentos recebidos devem ser arquivados.

O profissional também deve fiscalizar a execução da obra, garantindo que tudo esteja sendo realizado conforme acordado e, após a conclusão, ele deve fazer uma vistoria. 

Vale dizer que, no caso de reformas em apartamento alugado, antes mesmo de tratar com o síndico, você deve ter a autorização do proprietário e os detalhes devem constar no contrato, principalmente quem vai bancar a obra. 

Iniciando a reforma

Depois de obter a aprovação do síndico, já é possível iniciar a reforma do apartamento de acordo com o cronograma e com os horários permitidos pelo condomínio. Contudo, cada condomínio tem sua regra, é preciso ficar de olho.

As obras costumam começar pela etapa de demolição. 

Geralmente, é a fase que gera mais transtornos, principalmente se você mora na unidade, devido à bagunça e ao barulho no local. Caso esteja reformando um cômodo por vez, uma boa ideia é proteger e isolar os demais ambientes. 

Todo o entulho de demolição deve ser descartado em caçambas, que levam o material aos aterros credenciados pela prefeitura da sua cidade. O descarte em calçadas ou terrenos vazios é ato passível de multa e prejudicial ao meio ambiente.

Leia agora: Como produzir menos lixo e descartar corretamente seus resíduos

A etapa seguinte é a de instalações. Ela pode ocorrer ao mesmo tempo em que as demolições, otimizando o tempo para concluir o projeto. 

Esse é o momento de alterar a infraestrutura elétrica e hidráulica, além de instalar ar condicionado, alvenarias e automação. Também pode ser realizada a impermeabilização das áreas úmidas. 

Na sequência, começam os acabamentos. É quando são realizados assentamento de porcelanatos, instalação de piso de madeira, produção das bancadas, colocação de caixilhos, louças e metais. 

Algumas dessas atividades, como a instalação de pias, geram muito pó e sujeira. Além de incomodar o morador, eles podem danificar outras estruturas mais sensíveis, como bancadas de madeiras. Por isso, é muito importante respeitar a ordem correta do trabalho.

Agora, chegou a fase de finalização. É a hora de pintar, aplicar revestimentos, instalar luminárias, montar a marcenaria e outras tarefas que, pouco a pouco, vão dando a cara que você imaginou ao imóvel. 

Finalizando a obra

Antes de dispensar a equipe, há dois serviços adicionais que devem ser realizados.

O primeiro é uma limpeza fina da obra, que deixa para trás a bagunça e a sujeira que a reforma fez na sua casa.

O segundo é o checklist de qualidade. O responsável pela obra vai avaliar possíveis falhas que precisam de reparos para uma entrega adequada. Você também pode realizar essa vistoria da reforma do apartamento e solicitar ajustes ao responsável.

O síndico deve receber o termo de encerramento das obras, nos termos da ABNT NBR 14037, assinado pelo engenheiro ou arquiteto responsável pela reforma.

Como lidar com imprevistos na reforma de apartamento?

Mesmo com todo o cuidado para executar o planejamento, contratar os melhores profissionais e aprovar a obra, você ainda está sujeito a encontrar algum imprevisto e será preciso paciência e jogo de cintura para lidar com essas surpresas nada agradáveis. 

Você pode descobrir uma viga onde achou que não teria, um erro do projeto original aqui, uma instalação fora das regras atuais ali, ter que incluir uma tomada onde não estava previsto antes, perfurar acidentalmente uma tubulação… 

Nestes casos, a melhor saída é negociar a solução com os profissionais que já estão trabalhando no projeto. Mas, em alguns casos, será necessário contratar um profissional extra especializado no assunto.

Por isso, é recomendado que você tenha uma reserva de emergência ou não utilize todo o orçamento disponível na reforma. Caso contrário, terá que usar outra fonte de renda para os reparos adicionais.

Além disso, dependendo do problema, pode ser necessário readequar o cronograma, atualizar o ART/RRT e aguardar novamente a liberação do síndico, o que vai atrasar os seus planos.

Se você estiver dependendo do fim da obra para entrar no apartamento – ou para voltar a ter uma vida normal – em casos como este, não há o que fazer. Procure ter o novo prazo o mais rápido possível para conseguir pensar numa solução.

Viu só como, ao planejar a reforma de um apartamento, o processo pode ser mais tranquilo?!

Em busca de um apartamento reformado? O QuintoAndar tem a solução para você! 

Depois que você realizar toda a reforma do apartamento, pode registrar no QuintoAndar e esperar que ele seja alugado com toda a segurança e confiança que você merece.

Somos uma imobiliária digital. Você pode acessar nosso site em diferentes dispositivos ou baixar nosso app. Queremos que você tenha segurança para garantir a compra ou locação do seu novo apartamento.