Por muito tempo, o processo de locação de uma casa ou apartamento foi cercado de burocracia. Especialmente nas garantias que o inquilino tinha que apresentar ao proprietário como fiador de aluguel ou depósito caução. Mas agora é possível fazer um aluguel sem fiador. 

Isso porque quem está busca de um imóvel para alugar quer praticidade acima de tudo – afinal de contas, os perrengues de mudança já são grandes complicações que a maioria das pessoas passa. Pensando nisso, trazemos aqui uma inovação implementada pelo QuintoAndar e que revolucionou o mercado imobiliário: o aluguel sem fiador.

Quer entender mais como é possível conseguir a sua casa nova deixando a burocracia de lado? Então, navegue pelo conteúdo:

O que é o fiador?

O fiador é a pessoa física ou jurídica responsável por arcar com encargos e despesas quando um inquilino fica inadimplente ou seja, deixa de cumprir as responsabilidades previstas no contrato de aluguel de um imóvel. Esse papel é um dos requisitos apresentados na Lei do Inquilinato, que protege tanto o locatário quanto o proprietário contra eventuais prejuízos com uma locação.

Em outras palavras, podemos dizer que o fiador é fundamental para dar mais segurança ao proprietário, desde quando se fecha o contrato de aluguel até a desocupação do local. 

Isso porque o fiador não responde apenas por questões financeiras que envolvem o imóvel. Ele também é responsável por aspectos judiciais, caso o inquilino não cumpra todas as cláusulas contratuais. 

+ Leia também:

Contrato de aluguel de imóvel: tudo que você precisa saber sobre a sua locação

Modalidades de fiador

Há duas modalidades de fiador praticadas no mercado:

  • Solidário: é quando o fiador é imediatamente responsabilizado em caso de dívida do inquilino, a modalidade mais comum nos contratos de aluguel.
  • Subsidiário: em caso de inadimplência, o fiador pode primeiro exigir que o locatário do imóvel tenha os seus bens penhorados, antes de ter que arcar com a dívida. Essa é uma modalidade menos vantajosa para o locador, pois pode se arrastar por algum tempo. A penhora é uma ação judicial que “segura” o bem de um devedor para garantir que determinada dívida seja quitada. 

Como ser um fiador?

Encontrar uma pessoa apta a ser fiadora não é uma tarefa simples, pois as imobiliárias tradicionais costumam exigir uma série de requisitos para a pessoa que assumir esse papel. Algumas, inclusive, pedem mais de um fiador por contrato. 

Basicamente, é preciso ter um imóvel quitado em seu nome, sem irregularidades, em qualquer cidade do território brasileiro. Algumas imobiliárias dificultam o processo e exigem fiadores da mesma cidade em que o imóvel locado está localizado.

Além disso, é necessário comprovar renda três vezes superior ao valor do aluguel mensal e de encargos, como IPTU e condomínio. Por exemplo, se tudo resultar em R$ 3 mil mensais, o fiador precisa ter uma remuneração de R$ 9 mil por mês. Muitas vezes, essa exigência se torna inviável.

Leia também: Saiba quais documentos você precisa pra alugar pelo QuintoAndar

Além disso, no caso das imobiliárias tradicionais, o fiador deve preencher uma ficha de cadastro para que seu perfil seja avaliado, contendo os seguintes documentos:

  • Cópia do RG e CPF do fiador e cônjuge (se houver);
  • Comprovante de residência;
  • Cópia atualizada do registro de imóvel;
  • Certidão atualizada de estado civil;
  • Comprovante de renda (holerite ou Imposto de Renda) do fiador e cônjuge (se houver). 

No caso de um fiador que seja pessoa jurídica, o contrato social da empresa precisa permitir tal responsabilidade. E apenas o administrador do negócio poderá assinar o contrato de aluguel.

Os documentos que um fiador pessoa jurídica precisa apresentar são, além da ficha cadastral: 

  • CNPJ e Inscrição Estadual;
  • Comprovante de endereço;
  • Contrato Social atualizado;
  • RG, CPF e comprovante de endereço dos sócios;
  • Balanço e dois últimos balancetes;
  • Declaração de Imposto de Renda;
  • Comprovantes de bens como imóveis, veículos, entre outros. 

O que ocorre em caso de mudanças no fiador?

A Lei do Inquilinato prevê a exigência de um novo fiador ou de substituição da garantia ofertada por pessoa jurídica em algumas hipóteses. Por exemplo, morte, recuperação judicial, falência, insolvência, mudança de residência do fiador, entre outros casos do Art. 40.

O que substitui o fiador em um aluguel?

Quem não tem condições de apresentar essa garantia, precisa arranjar outras alternativas – pelo menos, para alugar um imóvel em uma imobiliária tradicional. Nesse caso, as duas principais opções são:

  • Depósito caução: é o pagamento antecipado de um valor equivalente a determinado número de aluguéis, normalmente, três. Por exemplo, se o aluguel custa R$ 1 mil, você precisará entregar R$ 3 mil para a imobiliária no momento de formalizar o contrato. Se a locação for paga em dia, a quantia é devolvida com juros e correção monetária;
  • Seguro fiança: é um valor equivalente a um aluguel e meio. O pagamento pode ser parcelado, em algumas situações. Para o locador, representa segurança. Para o inquilino, é ruim, já que a quantia não é recuperada, mesmo que o pagamento seja feito em dia todos os meses.

O que fazer quando não tem fiador?

Nesse caso, você pode utilizar o depósito caução ou o seguro fiança. Porém, você pode ter dificuldade com as duas opções. Afinal, terá que pagar um valor mais alto e recuperar somente ao final do período de aluguel. Ou arcar com um gasto menor, mas nunca mais ver esse dinheiro.

Por isso, existe uma terceira alternativa. Com uma imobiliária digital, você pode fazer um contrato de aluguel sem fiador e sem as outras garantias citadas. Mais adiante, vamos explicar como isso funciona. É só continuar lendo!

Quais são os problemas do aluguel com fiador?

Como você pode perceber até aqui, não é nada fácil um inquilino encontrar um fiador, e essa etapa pode atrasar o plano de fechar o contrato ou até inviabilizar totalmente o aluguel. 

O cenário atual, em que a economia está instável por conta da pandemia que começou no Brasil no início de 2020, com recorde de desemprego e inadimplência alta, torna quase impossível conseguir um fiador com o perfil necessário.

Mesmo em casos em que haja um familiar ou amigo do locatário que atenda às exigências, a posição de fiador pode acarretar um prejuízo enorme para quem aceita, razão pela qual há uma certa resistência em topar a missão.

Além disso, há anos existem relatos de golpes com essa figura. O mais comum é quando estelionatários se passam por fiadores profissionais falsificando documentos e são aprovados nos contratos de locação. E o pior: eles cobram o serviço dos futuros inquilinos, que nem desconfiam do crime. 

A fraude só é descoberta se o locatário ficar inadimplente. Nesses casos, é preciso acionar as prerrogativas concedidas ao dono do imóvel pela Lei do Inquilinato, que dará origem a um lento processo para ser ressarcido.

Quais são as desvantagens de alugar com fiador?

Já ficou claro que essa posição é desconfortável, tanto para quem faz o pedido quanto para quem aceita o favor. Por isso, há muitas desvantagens nessa operação. As principais são:

  • Possibilidade de golpes e fraudes;
  • Insegurança para o fiador, que poderá arcar com uma dívida, caso o inquilino não pague o aluguel;
  • Burocracia no processo de locação, já que é preciso apresentar vários documentos do locatário e do fiador;
  • Dificuldade para encontrar um fiador, pois nem todas as pessoas estão dispostas a assumirem essa responsabilidade.

Pode alugar imóvel sem fiador?

Sim! Além do depósito caução e do seguro fiança, ainda existem outras alternativas. Uma delas é pela aquisição de fundos de investimento em nome do proprietário do imóvel.

Explicando: você compra títulos dessa categoria de investimento. Eles geram rendimentos mensais, que cobrem a quantia que você deveria gastar com o contrato de aluguel sem fiador. Portanto, no final, você pode ter um dinheiro extra.

O problema começa quando você escolhe um fundo de investimento que registra prejuízo. Nesse caso, poderá até perder alguma quantia.

Ainda existe o título de capitalização. Ele também é adquirido no nome do proprietário e devolvido no final do contrato. Da mesma forma que os fundos de investimento, oferecem um retorno mensal, mas ele é menor.

Outra possibilidade é usar o seu cartão de crédito. Para isso, é preciso ter um limite à vista 4 vezes acima do preço do aluguel. No entanto, esse total fica ocupado, o que impede que você faça novas compras para garantir o aluguel sem fiador.

Ainda existe mais uma solução para você entender como funciona o aluguel sem fiador. Quer saber qual é? Vem com a gente e entenda!

Como fazer um aluguel sem fiador?

O modelo de aluguel sem fiador agiliza e desburocratiza a locação de imóvel, pois se baseia em uma análise de crédito criteriosa antes da aprovação de um inquilino. Dessa forma, o proprietário tem a garantia de ter um locatário capaz de honrar com o pagamento mensal do aluguel – sem a necessidade de encontrar alguém disposto a ser um fiador. 

Por esse e outros motivos, o aluguel sem fiador é considerado uma das revoluções proporcionadas pelo QuintoAndar, como já adiantamos, no mercado imobiliário, assim como a dispensa do depósito caução e a total digitalização dos processos. 

Além da análise de crédito do inquilino como garantia, o QuintoAndar conta com uma apólice de seguro emitida pela Fairfax Brasil, parte da holding Fairfax Financial, grupo global referência em seguros e resseguros, que protege o proprietário de eventuais inadimplências.

Quando é possível alugar sem fiador?

Na verdade, tudo depende de você. Afinal, existem alternativas no mercado, como o QuintoAndar. Por isso, você pode fazer um contrato de aluguel residencial sem fiador e negociar diretamente com o proprietário.

Além disso, nem precisa pensar em um modelo de contrato de aluguel de casa sem fiador. Você terá o apoio necessário com nossa equipe especializada. Assim, você poderá fechar o melhor negócio, com o mínimo de burocracia e as condições mais facilitadas.

Como o aluguel sem fiador é vantajoso para o locador?

Para quem disponibiliza um imóvel para locação, existem muitos benefícios em oferecer aluguel sem a exigência do fiador. Confira a seguir 4 deles:

1. O imóvel fica mais atrativo para o locatário

Se o fiador não for necessário, a sua propriedade chama mais atenção e crescem as chances dela ser alugada rapidamente.

2. Melhor experiência para o inquilino

Já explicamos que encontrar um fiador é algo muito complicado. Além disso, pode ser constrangedor para o futuro inquilino tentar convencer alguém a assumir esse papel. Será muito melhor se ele não tiver que passar por isso, não é mesmo?!

3. Agilidade nos trâmites

A busca e análise do fiador leva dias ou semanas, mas quem procura uma residência, geralmente, tem pressa. 

O aluguel sem fiador, unido aos demais processos totalmente digitais que o QuintoAndar possui, vai agilizar o fechamento do contrato.

4. Mais dinheiro no bolso

Quanto mais rápida e objetiva for a negociação, melhor para o locador, que já começará a receber o aluguel o quanto antes.

O inquilino também se beneficia, pois não vai precisar gastar com a documentação do fiador.

Confira as principais vantagens para locadores de alugar sem fiador

+ Leia também

Quando o inquilino paga o primeiro aluguel?

O que é preciso para alugar sem fiador?

Quando o inquilino encontra um móvel de seu interesse pelo QuintoAndar, nossa equipe especializada ajuda com todos os passos seguintes. Mas vamos explicar aqui como a modalidade do aluguel sem fiador funciona. 

Para concluir o processo, o locatário deve preencher os seguintes requisitos:

  • Ser uma pessoa física;
  • Comprovar renda mensal bruta 2,5 vezes maior ao valor do pacote aluguel + encargos (condomínio e IPTU) – porém, a imobiliária permite que a renda seja composta composta por até 4 pessoas, o que ajuda no processo e torna a locação mais inclusiva;
  • Não possuir restrições nos órgãos de proteção ao crédito (SPC e Serasa) nem ter processos judiciais em que seja réu;
  • Oscilações mensais, histórico de gastos e pagamentos compatíveis com a renda também são verificados.

Além desses requisitos, para alugar um imóvel com o QuintoAndar, basta apresentar os documentos:

  • CPF;
  • RG ou RNE (no caso de estrangeiros);
  • Comprovante de renda dos últimos 3 meses – a documentação varia de acordo com a fonte de renda ou vínculo empregatício.

Descubra como funciona a análise de crédito após o envio das documentações.

Aluguel sem fiador e com toda segurança que você precisa é no QuintoAndar

O QuintoAndar é líder do mercado imobiliário em aluguéis residenciais: a cada 5 minutos, um imóvel é alugado com a nossa intermediação, em um processo rápido, prático e sem burocracia para locador e locatário.Estamos presentes em mais de 40 cidades pelo Brasil, de 14 estados diferentes, nas cinco regiões do país. Além do aluguel sem fiador e do fim da burocracia, oferecemos as opções do Caução,Fiança Garantida ou Fiança Simples. O QuintoAndar possui em sua plataforma mais de 70 filtros para quem deseja buscar imóveis para morar de uma forma mais rápida e precisa.

Alugar, comprar ou vender? Vem comparar no QuintoAndar
Alugar, comprar ou vender? Vem comparar no QuintoAndar Descubra agora